Assim como nós, humanos, o tempo também chega para os cães.

Vale lembrar que a idade canina avança bem mais rápido do que a do ser humano. Eles vivem em média até os 14 anos! Mesmo que a vontade de quem tem um cãozinho seja que ele acompanhe a gente por toda a vida, não dá pra fugir da natureza das coisas. A boa notícia é que existem algumas recomendações para cuidar de cães idosos da melhor forma. Se o seu amiguinho está nessa fase, ou bem próximo dela, confira o nosso guia completo para cuidar de cães idosos!

Como saber se o cão chegou à velhice?

Pode parecer difícil identificar, mas não é! Em média, os cães entram na terceira idade quando completam 8 anos de idade. É claro que você também precisa acompanhar outros fatores, como a raça e o histórico de saúde do animal.

Os pelos da região do focinho e dos olhos começam a ficar brancos, e alguns cães começam a perder os dentes, ter problemas com excesso de peso, cegueira crônica e problemas na articulação. Os sintomas são inúmeros e podem variar muito, por isso o maior conselho é redobrar os cuidados quando o seu cãozinho completar entre 7 e 8 anos de vida.

Conheça os 4 tipos de problemas mais frequentes nos cães idosos

  1. Alterações cardíacas;
  2. Problemas ortopédicos;
  3. Insuficiência renal;
  4. Disfunção cognitiva.

Cuidado #1 – Dê todo o amor para ele

Assim como um ser humano idoso, o amor, carinho e a paciência são fundamentais para cultivar a vida e bem-estar do cão. Tenha a paciência de compreender que ele necessitará de cuidados especiais, afinal de contas, ninguém consegue manter o mesmo pique durante toda a sua vida.

O amor e o carinho são essenciais para retribuir toda a lealdade que o seu melhor amigo te ofereceu sempre que esteve ao seu lado.

Cuidado #2 – Alimentação

É bastante comum a perda dos dentes, entre outros problemas dentários nos cães idosos. Se esse for o seu caso, opte por oferecer alimentos mais pastosos para que a facilidade em digerir e se alimentar seja maior.

A alimentação deve ser mais rica em proteínas e bem mais saudável, pois com o passar do tempo, o ritmo da digestão do cão diminui consideravelmente.

Cuidado #3 – Respeite suas limitações

Você não tem a mesma energia e intensidade que tinha há 10 anos! Com os cães idosos é exatamente a mesma coisa. Eles passam a ter dificuldades para subir e descer escadas, e até mesmo para te acompanhar naquela caminhada mais longa.

Entenda as limitações e seja cuidadoso com o seu amiguinho. Manter o local de dormir próximo ao bebedouro e comedouro é uma excelente alternativa para reduzir o esforço do seu cão!

Cuidado #4 – Mude a rotina das atividades

É preciso enfatizar: a energia muda e o pique para correr e brincar diminui. Se o seu cãozinho sempre foi muito ativo, vale a pena manter a intensidade das atividades, mas sempre ficando de olho no cansaço e desgaste dele.

Os passeios e brincadeiras devem ser mantidos, porém adaptadas para que o seu cachorro consiga acompanhar sem que os esforços o prejudiquem.

Cuidado #5 – As visitas ao veterinário serão constantes

É igualzinho a gente: quando nos tornamos idosos, as visitas ao médico se tornam mais frequentes para a realização de exames periódicos e acompanhar como o nosso estado de saúde se encontra no momento.

Com os cães idosos, as consultas devem ser feitas pelo menos de 6 em 6 meses. O acompanhamento mais constante é fundamental nessa fase!

Quer receber mais matérias com dicas e informações sobre o seu melhor amigo? Aproveita para clicar no link e assinar a nossa newsletter!