Sempre que alguém precisa emagrecer, a tortura se inicia. O nariz fica torto, a cara fica feia e, quase que instantaneamente, o estômago ruge com a maior das fomes do mundo, que há minutos não estava ali. Imaginamos que para atingir esse objetivo, precisamos sofrer com a restrição alimentar e com exercícios físicos pesados. No entanto, é possível usar a meditação para emagrecer.

O porquê de usar a meditação para emagrecer

Para entender perfeitamente o funcionamento da medicação na perda de peso, precisamos abordar dois temas cruciais: como ganhamos peso e como podemos usar a meditação para emagrecer. O raciocínio, na verdade, é muito simples. Mas, vamos por partes:

O ganho de peso

Excluindo os indivíduos acometidos por alguma alteração física da saúde, como o hipotireoidismo, o uso de medicamentos e a idade avançada, a maioria dos casos de ganho de peso está vinculado às questões emocionais. Altos níveis de estresse, depressão e até a má administração do tempo são fatores que contribuem muito para que o ser humano engorde.

A correria do dia a dia encurta nossas refeições e restringe os horários livres para as práticas de exercícios físicos, o que faz o sedentarismo imperar. As crises econômicas nos deixam tensos e o medo do desemprego eleva o nível de ansiedade. E o excesso do hormônio cortisol, liberado por todo esse estresse, provoca a sensação de fome.

Além disso tudo, temos os efeitos da depressão, que assolam, pelo menos, 5,8% dos brasileiros. Uma das características deste mal emocional é a busca por um sistema de recompensa fácil e rápido, como o prazer que os alimentos gordurosos e com muito açúcar proporcionam ao cérebro. Resultado: metabolismo prejudicado, má alimentação e muitas calorias a mais — que tendem a aumentar o colesterol e até causar um AVC.

O poder da meditação

Podemos dizer que a meditação é um exercício, basicamente mental, que se propõe a levar as pessoas ao equilíbrio emocional através de uma sucessão de estágios. E é a busca por um ponto de equilíbrio que ajuda a reduzir o estresse, controlar a ansiedade e combater a compulsão alimentar.

Portanto, podemos usar a meditação para emagrecer quando atrelamos ela a uma dieta saudável e bem regulada. Atenção: não estamos falando de dieta restritiva, que corta alimentos e possíveis nutrientes. E é justamente por desenvolvermos esse equilíbrio emocional que somos capazes de ter um maior autocontrole, até mesmo da nossa fome.

As formas de meditar

Existem diversos tipos de meditação, com as mais variadas práticas. Algumas são mais famosas, como a ioga — uma prática milenar que trabalha mente e corpo, com técnicas de alongamento. Outras, são mais simples e intimistas, como aprender a apreciar as paisagens ao nosso redor e refletir sobre os fatos. Existem até aplicativos que prometem ajudar os usuários a meditarem sozinhos, “aprendendo a fazer isso sem um guia presencial”. Basta que você pesquise e escolha a melhor forma de meditação para você.

Por fim, é importante fixar que os benefícios da meditação para emagrecer e melhorar a qualidade de vida são comprovados. Além dos diversos sites da internet e dos canais no YouTube que ensinam diversas práticas, recentemente as práticas de ioga, biodança e meditação foram incorporadas ao Sistema Único de Saúde (SUS), conforme publicação do Ministério da Saúde no Diário Oficial de 28 de março de 2017.

Para não perder outros conteúdos legais como este, curta nossa página no Facebook e nos siga no Instagram.