Já foi o tempo em que dobrinhas nas crianças era sinal de saúde. Pode até ser fofo e gostoso pegar um bebê gordinho no colo. Mas os pais precisam ficar atentos, pois um estudo recente aponta o mau exemplo dos pais como um dos principais causadores da obesidade mórbida infantil. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), são 42 milhões de casos no mundo somente entre as crianças com até cinco anos de idade.

Justamente por causa desses dados assustadores, é preciso esclarecer para você o que é, como é causada e o que a família pode fazer para suas crianças não sofrerem com a obesidade.

A obesidade infantil

Tal qual qualquer outro tipo de obesidade, a infantil é o acúmulo de grande quantidade de gordura no corpo do indivíduo. Ela é medida, principalmente, através do cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC). Este índice é obtido através da divisão do peso em kg da pessoa pela multiplicação da altura dela pela própria altura. Ou seja: IMC = peso em kg ÷ altura x altura.

No entanto, devido ao acelerado metabolismo e ao processo de crescimento, o IMC infantil é calculado através da idade, gerando o percentil. Por exemplo, uma criança com percentil 90, significa que ela está com um IMC maior do que 90% das crianças na mesma idade.

Quando uma criança apresenta um IMC com percentil superior ao normal para a sua idade e estrutura física, ela é considerada obesa. E quando esse IMC é muito superior, ela é diagnosticada com obesidade mórbida infantil.

As causas da Obesidade Mórbida Infantil

As causas da obesidade mórbida infantil são variadas. Mas, principalmente, estão relacionadas à qualidade dos hábitos alimentares e ao sedentarismo. Segundo o estudo realizado com 100 mil crianças e seus pais, em diversos países, boa parte da causa da obesidade mórbida infantil está relacionada aos maus exemplos dos país. O mau exemplo mais comum é a alimentação fora dos horários adequados, rica em gorduras e açúcares — o grande vilão dessa história.

Mas, tal doença também pode se originar de outras causas, como da herança genética de seus país, de distúrbios hormonais e até de fatores psicológicos. Afinal, quem nunca sofreu uma desilusão ou esteve sob muita pressão psicológica e buscou ajuda em um pote de sorvete ou em uma barra de chocolate? Geralmente, nestes casos, a ansiedade é facilmente aliviada através do prazer da ingestão de comida, mesmo sem ter fome. Esta válvula de escape desenvolve a compulsão alimentar e contribui muito para a obesidade.

Os males do sobrepeso

Uma criança com sobrepeso, principalmente com considerável excesso durante toda a infância e pré-adolescência, tende a continuar obesa na fase adulta. E essa quantidade de peso anormal durante o desenvolvimento do corpo causa a má formação do esqueleto. Além disso, o excesso de gordura e açúcar no organismo pode provocar o aparecimento de diabetes e doenças cardíacas.

Então, país, ao observarem o aumento de peso de seus filhos e a manutenção de um IMC alto durante a infância, se atentem à alimentação da criança. Também é preciso estimular a prática de exercícios físicos e não deixar de procurar auxílio médico. Tais medidas combatem a obesidade mórbida infantil e contribuem para a melhoria do bem-estar de seus filhos.

E aproveite para curtir a nossa página no Facebook e seguir o nosso Instagram para ficar por dentro de outros temas interessantes como este.