De acordo com o IBGE, 3 em cada 4 idosos possuem alguma doença crônica, e muitas delas são incuráveis. Confira o artigo que preparamos com os tipos de doenças consideradas mais comuns nos idosos!

Mal de Parkinson

Caracterizada pela desordem progressiva dos movimentos, o Mal de Parkinson se manifesta normalmente a partir de 60 anos, mas em alguns casos pode aparecer a partir dos 35 anos. Esse distúrbio cerebral provoca a deterioração progressiva, com rigidez muscular e tremores involuntários.

Infelizmente a doença não tem cura, mas existem alguns tratamentos para retardar o seu progresso. Lentidão dos movimentos, postura inclinada para frente, rigidez dos músculos e tremores são alguns dos sintomas mais conhecidos.

Hipertensão

Considerada uma doença crônica, a Hipertensão Arterial se apresenta com a elevação da pressão arterial igual ou acima de 140/90. Apesar de não ser uma doença exclusiva da terceira idade, a Hipertensão Arterial se manifesta em cerca de 65% dos idosos, e tem como origem a herança genética, o estilo de vida (sedentarismo, péssimos hábitos alimentares, fumo, entre outros) e tendência familiar.

Considerada uma doença silenciosa por não apresentar sintomas explícitos, as dores de cabeça, cansaço, tonturas e falta de ar, mesmo sendo comuns a outras doenças, ocorrem com mais frequência e intensidade em quem tem Hipertensão Arterial.

Osteoporose

De acordo com estimativas, a osteoporose atinge cerca de 10% da população brasileira, sendo considerado o tipo mais comum de reumatismo. A osteoporose afeta a estrutura dos ossos, tornando-os bastante frágeis. Com isso, o risco de fraturas espontâneas, principalmente em pequenas quedas, aumenta consideravelmente.

Alguns sintomas tornam a osteoporose fácil de ser identificada. Dores nas costas ou pescoços, coluna vertebral com deformidade, fraturas em pequenas quedas e sensibilidade nos ossos são sintomas comuns.

Acidente Vascular Cerebral

Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) se caracteriza pela interrupção da oxigenação do tecido cerebral de determinada área do cérebro, tendo como consequência a perda de algumas funções que estejam relacionadas a essa área. De acordo com dados da OMS (Organização Mundial de Saúde), cerca de 16 milhões de pessoas sofrem um AVC a cada ano, em todo o mundo.

Dormência, fraqueza, dificuldades para movimentar a face e braços/pernas em um lado do corpo, alterações visuais e dificuldade na fala são alguns dos sintomas comuns e que exigem que o portador seja encaminhado o mais rápido possível para tratamento.

Mal de Alzheimer

Mais uma doença bastante comum nos idosos, o Mal de Alzheimer é uma doença degenerativa do cérebro que afeta as habilidades de memorizar, raciocinar e pensar, podendo levar inclusive à demência. Sua manifestação ocorre com mais frequência a partir de 65 anos de idade.

Descuido na aparência pessoal, esquecimento, confusão mental, perda de memória e incapacidade de executar atividades simples do dia a dia são algumas das características mais comuns dos portadores de Alzheimer.

Existe a possibilidade de diminuir os riscos dessas doenças?

Mesmo não evitando completamente o aparecimento de determinadas doenças na velhice, manter alguns hábitos durante a juventude pode reduzir bastante os riscos.

Fugir de uma vida sedentária, cuidar da alimentação, praticar atividades físicas e exercícios para o cérebro, podem fazer toda a diferença para conquistar um envelhecimento saudável. Aproveite o nosso espaço para compartilhar a sua opinião com a gente!