Graças ao avanço da tecnologia e da medicina, descobrir e tratar doenças ficou muito mais fácil. Com medidas cada vez menos invasivas é possível analisar cada órgão, por meio de imagens de altíssima qualidade, averiguar o funcionamento de todo o organismo e até mesmo detectar doenças ainda em estágio inicial, o que aumenta consideravelmente as chances de tratamento e de cura. A ressonância magnética, por exemplo, é um dos frutos deste avanço.

A máquina de ressonância funciona como uma espécie de ímã gigante. Por intermédio de campos magnéticos e ondas de radiofrequência, ela interage com o corpo e provoca uma movimentação das moléculas. Esses movimentos são transmitidos do aparelho para um computador que, através de uma série de códigos, os transforma em imagens em alta definição.

Continue lendo o artigo e saiba quando é necessário fazer uma ressonância magnética e como o exame é realizado.

ressonancia magnetica

Quando usar?

A ressonância magnética é usada para identificar uma variedade de doenças, sem que o paciente precise passar por um procedimento invasivo. Ela serve para detectar doenças neurológicas, como Alzheimer e esclerose múltipla, para visualizar os vasos sanguíneos e identificar possíveis anormalidades, para diagnosticar lesões ósteomusculares, como tendinite, cistos ou hérnias, além de revelar tumores, derrames ou infecções.

O exame deve ser solicitado pelo médico, quando houver a necessidade de uma investigação mais profunda sobre determinado quadro clínico.

Como o exame é realizado?

Apesar de ser um procedimento super tecnológico, a ressonância magnética é um exame bem simples. Para realizá-lo o paciente é deitado em uma maca e a parte que será analisada é coberta por um aparelho chamado bobina magnética, que contribui para um resultado mais preciso da imagem. Depois, a maca é deslizada para dentro de um tubo onde o exame é realizado.

O procedimento é totalmente indolor, mas pode ser um pouco incomodo por necessitar de imobilização absoluta. Por isso tente relaxar e ficar tranquilo porque qualquer movimento pode alterar as imagens e prejudicar a qualidade do exame.

Quando o exame é realizado em crianças, idosos ou pacientes com deficiência intelectual, como esquizofrenia ou demência, em que é mais difícil manter o paciente parado, pode haver a necessidade de aplicar um sedativo.

Em média, o exame dura entre 15 e 30 minutos, mas pode chegar ao dobro do tempo dependendo da área analisada. Há partes mais complexas que exigem uma análise mais minuciosa, e por consequência mais tempo de exame. O médico também pode perceber a necessidade de ministrar o contraste endovenoso, um composto químico que serve para mostrar a atividade e a vascularização dos tecidos.

O procedimento não exige nenhuma preparação prévia e não há necessidade de repouso ou qualquer outra intervenção após o exame. Por isso, é possível voltar às atividades normais logo depois de sua realização.

Cuidados e contraindicações

Por não emitir radiação, diferente do raio-x, a ressonância magnética é um exame de baixo risco. Há contraindicações apenas para pacientes específicos, pois, como o aparelho funciona através de ondas magnéticas não é permitido que o paciente entre utilizando qualquer item metálico.

O exame não é indicado para pessoas que possuam próteses, marca-passos ou pinos metálicos pelo corpo. O forte campo magnético emitido pelo aparelho exige que até mesmo as tatuagens sejam verificadas antes do exame, já que algumas tintas possuem ferro em sua composição.

Pacientes com claustrofobia também devem alertar o médico sobre sua situação. O tubo magnético, onde é feito exame, é pequeno e pode causar problemas para pessoas com essa fobia, sobretudo porque é necessário ficar completamente imóvel durante o procedimento. Caso haja necessidade, o médico pode aplicar um tranquilizante ou até mesmo um sedativo para facilitar o processo.

Preço

Por ser um exame complexo e altamente tecnológico, a ressonância magnética tem um custo bastante elevado. O preço pode variar, conforme a localização e a clínica, mas geralmente custa entre R$800 e R$1500, na rede particular =(

Mas com o desconto exclusivo do Vizar Beta, o valor do exame fica bem mais acessível. Clique aqui para conhecer o Vizar Beta, inscreva-se gratuitamente e tenha acesso a uma série de descontos em exames e consultas.

E aí, entendeu como funciona a ressonância magnética?