Como a doença ainda não tem cura e pode ser fatal, é necessário que os donos de cães conheçam seus sintomas, tratamento e suas formas de transmissão. Confira agora o artigo que preparamos para você saber tudo sobre leishmaniose canina!

Entenda o que é Leishmaniose

A leishmaniose é uma doença infecciosa, causada por parasitas do gênero leishmania e sua manifestação pode ser cutânea ou visceral. Considerada zoonose, que pode ser transmitida para os homens por meio dos animais, a leishmaniose é uma doença considerada grave, crônica e de curso lento.

Como a doença nem sempre apresenta sintomas, é muito importante que os donos de cães fiquem atentos às mínimas recomendações!

Como ocorre a sua transmissão?

O protozoário leishmania é transmitido pela picada do mosquito-palha, também conhecido como tatuquira, cangalinha, palhinha ou birigui, um inseto hematófago (que se alimenta de sangue) e que mede de 2 a 3 milímetros de comprimento.

Os mosquitos ingerem protozoários leishmanias no momento em que estão se alimentando de outros mamíferos e transmitem a doença para os cães através de uma única picada. Sua reprodução costuma ocorrer em locais com muita matéria orgânica em decomposição, então lembre-se: lugar de lixo é no lixo!

Entenda os sintomas

Apesar de a doença apresentar sintomas de forma lenta, sua confirmação pode ser feita através de exame de sangue. Mas alguns sintomas característicos podem ser o bastante para deixar os donos de cães mais atentos:

  • Perda de peso
  • Falta de apetite
  • Febre
  • Apatia
  • Debilidade
  • Feridas na pele com dificuldade de cicatrização
  • Feridas nos bordos das orelhas
  • Lesões oculares
  • Falta de pelo ao redor dos olhos
  • Crescimento rápido das unhas

Como faço para prevenir?

Atualmente, existe vacina contra a leishmaniose, porém é necessário confirmar a ausência da doença no seu cão. Caso o seu animal não esteja infectado, a vacina é aplicada por meio de 3 doses com intervalos de 21 dias cada. Vale lembrar que a idade mínima do cão deve ser pelo menos 6 meses de idade!

Outra maneira de prevenir a leishmaniose é usando formas de repelir o inseto, como a coleira scalibor e com aplicação de Advantage Max 3. Evite passear com o seu cão em locais úmidos, como lagos e rios, principalmente ao amanhecer e entardecer.

Existe tratamento da leishmaniose?

O tratamento da leishmaniose ainda é um assunto bastante polêmico. De acordo com o Ministério da Saúde do Brasil, responsável por cuidar do Programa de Controle da leishmaniose canina, caso o exame de leishmaniose seja positivo, o animal deve ser eutanasiado (decisão também publicada pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária).

Porém, após décadas de discussão, o grupo de pesquisas da Brasilleish conseguiu, em agosto de 2016, a aprovação do Ministério da Saúde e da Agricultura para a comercialização do Milteforan, considerada uma das drogas mais utilizadas na Europa para o tratamento da leishmaniose.

Conta pra gente nos comentários o que achou do nosso artigo! Se quiser receber mais matérias em seu e-mail, cadastre-se em nossa newsletter!